quarta-feira, 16 de abril de 2014

Evangelho do dia 16 de abril

Mt 26,14-26

Naquele tempo, 14um dos doze discípulos, chamado Judas Isca­riotes, foi ter com os sumos sacerdotes 15e disse: “Que me dareis se vos entregar Jesus?” Combinaram, então, trinta moedas de prata. 16E daí em diante, Judas procurava uma oportunidade para entregar Jesus.
17No primeiro dia da festa dos Ázimos, os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Onde queres que façamos os preparativos para comer a Páscoa?” 18Jesus respondeu: “Ide à cidade, procurai certo homem e dizei-lhe: ‘O Mestre manda dizer: o meu tempo está próximo, vou celebrar a Páscoa em tua casa, junto com meus discípulos’”.
19Os discípulos fizeram como Jesus mandou e prepararam a Páscoa. 20Ao cair da tarde, Jesus pôs-se à mesa com os doze discípulos. 21Enquanto comiam, Jesus disse: “Em verdade eu vos digo, um de vós vai me trair”. 22Eles ficaram muito tristes e, um por um, começaram a lhe perguntar: “Senhor, será que sou eu?”
23Jesus respondeu: “Quem vai me trair é aquele que comigo põe a mão no prato. 24O Filho do Homem vai morrer, conforme diz a Escritura a respeito dele. Contudo, ai daquele que trair o Filho do Homem! Seria melhor que nunca tivesse nascido!” 25Então Judas, o traidor, perguntou: “Mestre, serei eu?” Jesus lhe respondeu: “Tu o dizes”.

domingo, 13 de abril de 2014

Jovens católicos tomam as ruas do Alemão na JDJ 2014

A tarde clara e quente deste sábado, dia 12 de abril, foi ainda mais brilhante com o sorriso e quente com a calorosa alegria de mais de mil jovens que celebraram a Jornada Diocesana da Juventude no bairro de Inhaúma, no Complexo do Alemão.
Jovens das paróquias, movimentos, novas comunidades, congregações e pastorais da juventude fizeram uma concentração na Praça de Inhaúma, em frente à Paróquia São Tiago, para a bênção dos Ramos, antes de saírem em procissão pelas ruas do bairro. A missa foi presidida pelo bispo de Valença e referencial da juventude no Regional Leste 1 da CNBB, Dom Nelson Francelino, e contou com a presença de padres e seminaristas da Arquidiocese do Rio.
Dom Roberto Lopes, vigário episcopal para a Vida Consagrada e delegado para a Causa dos Santos, também esteve presente e apresentou uma relíquia do beato João Paulo II, com um pouco do seu sangue e, em seu relicário, um pedaço da lápide do futuro santo. A relíquia é um presente do Vaticano para que acompanhe os trabalhos relacionados a juventude da Arquidiocese, a começar pela presença na JDJ 2014.
temp_title13_04_2014_11_31_24_13042014113604
Relíquia de João Paulo II
Uma juventude que vai, sem medo, para servir
Para Dom Nelson, a realização do evento só reforça vários aspectos que a juventude carioca vive como Igreja. Neles se misturam a experiência da JMJ Rio2013, o chamado ao discipulado missionário, as provocações e os desafios do tema da Campanha da Fraternidade desse ano, sobre o tráfico humano, e o Ano da Caridade proposto aos católicos do Rio, tudo isso numa verdadeira cultura do encontro.
“Nas periferias, sejam elas geográficas ou existenciais, é onde está o grito, o medo, a ameaça. Eu creio que a juventude toda aqui neste espaço se torna um belo sinal profético de uma Igreja que vai entrando com muita felicidade e de modo muito destemido nessa nova era de sair ao encontro de todos”, destacou Dom Nelson, que foi bispo auxiliar da Arquidiocese antes de assumir a Igreja de Valença, no último dia 5.
O responsável pelo Setor Juventude arquidiocesano, padre Jorge Carreira,  acredita que a celebração da Jornada Diocesana da Juventude é uma forma de reviver a experiência da JMJ Rio2013 na realidade da Igreja do Rio de Janeiro que, mais que um evento, foi um momento de comunhão e testemunho de fé.
“Para ser feliz, para ser santo, para fazer a vontade de Deus, temos que ir aonde Jesus está. E Ele está com aquele que é necessitado, com o pobre, com aquele que sofre perseguição e violência, aquele que é esquecido pela sociedade. Então, se o Domingo de Ramos é Jesus vindo até nós, entrando em Jerusalém para nos salvar, os jovens cariocas foram convidados a irem até Jesus, a encontra-lo no Complexo do Alemão”, afirmou padre Jorge.

Ângelus: jovens brasileiros entregam símbolos da JMJ

Na conclusão da Santa Missa neste Domingo de Ramos e Jornada Mundial da Juventude em âmbito diocesano, e antes de rezar a Oração do Angelus, o Papa Francisco dirigiu uma saudação especial aos 250 delegados – bispos, sacerdotes, religiosos e leigos – que participaram do encontro sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, organizado pelo Pontifício Conselho para os Leigos. Tem início assim o caminho de preparação – destacou o Santo Padre – do próximo encontro mundial, que se realizará em julho de 2016, em Cracóvia e que terá como tema “Bem-aventurados os misericordiosos, porque encontrarão misericórdia”. (Mt 5,7)
O Papa então recordou que os jovens brasileiros estavam entregando aos jovens poloneses a Cruz das Jornadas Mundiais da Juventude.
“A entrega da cruz aos jovens foi feita trinta anos atrás pelo Beato João Paulo II: ele pediu aos jovens que a levassem por todo o mundo como sinal do amor de Cristo pela humanidade. No próximo dia 27 de abril teremos todos a alegria de celebrar a canonização deste Papa, junto com João XXIII".
Francisco disse ainda que João Paulo II foi o inciador das Jornadas Mundiais da Juventude, e se tornará o seu grande Patrono; na comunhão dos santos continuará a ser para os jovens do mundo um pai e um amigo. Peçamos ao Senhor, - continuou – que a Cruz, junto com o Ícone de Nossa Senhora, Salus Populi Romani, seja sinal de esperança para todos revelando ao mundo o amor invencível de Cristo.
Em seguida realizou-se a passagem dos símbolos da JMJ das mãos dos jovens brasileiros às mãos dos jovens poloneses.
O Papa então saudou todos os presente em particular as delegações do Rio de Janeiro e de Cracóvia, guiadas pelos seus Arcebispos, os Cardeais Orani João Tempesta e Stanilsaw Dziwisz. Anunciou por fim, neste contexto, “se Deus quiser”, no dia 15 de agosto próximo, em Daejeon, na República da Coreia, encontrarei os jovens da Ásia durante o seu grande encontro continental. O Papa pediu ainda a Maria para que nos ajude a seguir sempre Jesus com fé e com amor, e rezou a Oração do Angelus, concluindo com a sua Benção Apostólica.
O Papa concluiu a manhã com um abraço simbólico a todos os jovens do mundo, encontrando os jovens brasileiros e poloneses e fazendo um giro pela Praça São Pedro com o Papa-móvel. 

sábado, 12 de abril de 2014

Programação da Semana Santa

Pe.Gleuson, Pe. Abdala e toda comunidade paroquial convida você e sua família à participarem das celebrações da Semana Santa na Igreja de São Joaquim. Veja, abaixo, a programação, venha e juntos participemos desses momentos de profunda oração e reflexão.





sexta-feira, 11 de abril de 2014

Cardeal Rylko define JMJ no Rio de Janeiro como revolucionária

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Rio de Janeiro foi "revolucionária, capaz de um impulso missionário de força extraordinária para toda a Igreja e para as gerações jovens", definiu o Presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, Cardeal Stanislaw Rylko.
O Cardeal inaugurou na manhã desta quinta-feira, 10 de abril, em Sassone di Ciampino, próximo a Roma, o encontro internacional sobre as Jornadas Mundiais da Juventude Rio 2013 e Cracóvia 2016. O evento se estenderá até o próximo domingo, dia 13. O arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Dom Orani João Tempesta, também está presente.
"Uma gigantesca semeadura da Palavra de Deus, em especial nos corações dos jovens. Agora, esta grande aventura da fé continua rumo a Cracóvia 2016, onde a JMJ voltará depois de 25 anos da experiência extraordinária de Czestochowa em 1991", afirmou sobre a JMJ Rio2013.
De acordo com o purpurado, as Jornadas Mundiais da Juventude são "um grande sinal de esperança, um grande dom, um estimulante da criatividade e imaginação missionária".
"As Jornadas Mundiais da Juventude se tornaram parte integrante da pastoral da juventude no mundo e deve ser entendida a importância do projeto pastoral que elas trazem para a Igreja", disse o cardeal Rylko.
JMJ de Cracóvia
Segundo o Cardeal Rylko, dois aspectos fundamentais da JMJ de Cracóvia devem ser reiterados: o tema da misericórdia, inspirado num versículo das Bem-Aventuranças e escolhido pelo Papa Francisco como lema do evento, e a figura de João Paulo II que em breve será canonizado.
"Os jovens de todo o mundo que irão a Cracóvia darão graças a Deus pela canonização deste grande pontífice, protagonista nos acontecimentos da época, peregrino incansável do Evangelho, grande profeta dos nossos tempos, fundador das Jornadas Mundiais da Juventude que confiava nos jovens, aliados indispensáveis no projeto da nova evangelização", disse ainda o Presidente do Pontifício Conselho para os Leigos.
Em 2016, em Cracóvia, "João Paulo II voltará entre seus jovens como o Santo Padroeiro, amigo do céu em que se pode confiar". "A Igreja na Polônia olha para esse grande evento com alegria e gratidão, mas também com um forte senso de responsabilidade pelas expectativas do mundo inteiro", concluiu o Cardeal Rylko.
Na Cracóvia, há novos desafios pastorais que exigem respostas imediatas. “A nova geração de jovens precisa de uma nova geração de agentes pastorais persuasivos e testemunhas autênticas de Cristo e seu Evangelho”, disse ainda o purpurado.