terça-feira, 22 de abril de 2014

Evangelho do dia 22 de abril

Jo 20,11-18

Naquele tempo, 11Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando. Enquanto chorava, inclinou-se e olhou para dentro do túmulo. 12Viu, então, dois anjos vestidos de branco, sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés.
13Os anjos perguntaram: “Mulher, por que choras?” Ela respondeu: ”Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram”. 14Tendo dito isto, Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé. Mas não sabia que era Jesus.15Jesus perguntou-lhe: “Mulher, por que choras? A quem procuras?” Pensando que era o jardineiro, Maria disse: “Senhor, se foste tu que o levaste dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar”.
16Então Jesus disse: “Maria!” Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: “Rabuni” (que quer dizer: Mestre). 17Jesus disse: “Não me segures. Ainda não subi para junto de meu Pai. Mas vai dizer aos meus irmãos: subo para junto do meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”. 18Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: “Eu vi o Senhor!”, e contou o que Jesus lhe tinha dito.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Papa lavará os pés de 12 deficientes de diversas idades, etnias e religiões

“Para o rito do lava-pés escolhemos 12 deficientes de diversas idades, etnias e religiões, com handicap de diversas gravidades. De fato, é um gesto realmente universal de um Deus que se faz homem e serve a toda a humanidade e é sinal da misericórdia evangélica que quer abraçar, com o gesto do Papa, todo o mundo do sofrimento”. Foi o que afirmou o sacerdote Angelo Bazzari, presidente da Fundação Padre Carlo Gnocchi, a respeito da Missa da Ceia do Senhor que o Papa Francisco presidirá na igreja do centro romano “Santa Maria da Providência”, para os deficientes e os funcionários da Obra de assistência.
“É um gesto que o Papa cumpre sempre na esteira daquela Igreja que quer servir primordialmente aos últimos, mas que evangelicamente são os primeiros. Este presente é certamente um carinho que o Papa Francisco faz ao mundo do sofrimento, ao universo habitado pelos mais frágeis e mais vulneráveis”, sublinhou padre Bazzari.
“Um gesto – acrescentou – que certamente quer semear esperança e se torna também um modelo a ser imitado, pois se coloca em continuidade, não somente com os gestos do nosso fundador, mas também com toda a ação da fundação nos seus mais de 60 anos de vida”.
Ao falar sobre como nasceu esta ideia do Papa, o presidente da Fundação Padre Gnocchi explicou que “a coisa foi simples: enviei uma carta ao Papa e depois o encontrei, por uns dois minutos, na Praça São Pedro e renovei o convite a ele. Me respondeu: Por que não? Pensemos sobre isto’. Após, quando nos chegou a notícia de sua decisão, suscitou em todos nós grande admiração e uma alegre e trepidante espera. Consideramos este um gesto de grande apreço por todo o mundo dos deficientes”.
Na Quinta-feira Santa, o Papa Francisco encontrará todos os funcionários dos dois centros de Roma, “Santa Maria da Paz” e “Santa Maria da Providência”, aos quais se juntarão delegações de todos os 27 centros Padre Gnocchi espalhados pela Itália.

domingo, 13 de abril de 2014

Jovens católicos tomam as ruas do Alemão na JDJ 2014

A tarde clara e quente deste sábado, dia 12 de abril, foi ainda mais brilhante com o sorriso e quente com a calorosa alegria de mais de mil jovens que celebraram a Jornada Diocesana da Juventude no bairro de Inhaúma, no Complexo do Alemão.
Jovens das paróquias, movimentos, novas comunidades, congregações e pastorais da juventude fizeram uma concentração na Praça de Inhaúma, em frente à Paróquia São Tiago, para a bênção dos Ramos, antes de saírem em procissão pelas ruas do bairro. A missa foi presidida pelo bispo de Valença e referencial da juventude no Regional Leste 1 da CNBB, Dom Nelson Francelino, e contou com a presença de padres e seminaristas da Arquidiocese do Rio.
Dom Roberto Lopes, vigário episcopal para a Vida Consagrada e delegado para a Causa dos Santos, também esteve presente e apresentou uma relíquia do beato João Paulo II, com um pouco do seu sangue e, em seu relicário, um pedaço da lápide do futuro santo. A relíquia é um presente do Vaticano para que acompanhe os trabalhos relacionados a juventude da Arquidiocese, a começar pela presença na JDJ 2014.
temp_title13_04_2014_11_31_24_13042014113604
Relíquia de João Paulo II
Uma juventude que vai, sem medo, para servir
Para Dom Nelson, a realização do evento só reforça vários aspectos que a juventude carioca vive como Igreja. Neles se misturam a experiência da JMJ Rio2013, o chamado ao discipulado missionário, as provocações e os desafios do tema da Campanha da Fraternidade desse ano, sobre o tráfico humano, e o Ano da Caridade proposto aos católicos do Rio, tudo isso numa verdadeira cultura do encontro.
“Nas periferias, sejam elas geográficas ou existenciais, é onde está o grito, o medo, a ameaça. Eu creio que a juventude toda aqui neste espaço se torna um belo sinal profético de uma Igreja que vai entrando com muita felicidade e de modo muito destemido nessa nova era de sair ao encontro de todos”, destacou Dom Nelson, que foi bispo auxiliar da Arquidiocese antes de assumir a Igreja de Valença, no último dia 5.
O responsável pelo Setor Juventude arquidiocesano, padre Jorge Carreira,  acredita que a celebração da Jornada Diocesana da Juventude é uma forma de reviver a experiência da JMJ Rio2013 na realidade da Igreja do Rio de Janeiro que, mais que um evento, foi um momento de comunhão e testemunho de fé.
“Para ser feliz, para ser santo, para fazer a vontade de Deus, temos que ir aonde Jesus está. E Ele está com aquele que é necessitado, com o pobre, com aquele que sofre perseguição e violência, aquele que é esquecido pela sociedade. Então, se o Domingo de Ramos é Jesus vindo até nós, entrando em Jerusalém para nos salvar, os jovens cariocas foram convidados a irem até Jesus, a encontra-lo no Complexo do Alemão”, afirmou padre Jorge.

Ângelus: jovens brasileiros entregam símbolos da JMJ

Na conclusão da Santa Missa neste Domingo de Ramos e Jornada Mundial da Juventude em âmbito diocesano, e antes de rezar a Oração do Angelus, o Papa Francisco dirigiu uma saudação especial aos 250 delegados – bispos, sacerdotes, religiosos e leigos – que participaram do encontro sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, organizado pelo Pontifício Conselho para os Leigos. Tem início assim o caminho de preparação – destacou o Santo Padre – do próximo encontro mundial, que se realizará em julho de 2016, em Cracóvia e que terá como tema “Bem-aventurados os misericordiosos, porque encontrarão misericórdia”. (Mt 5,7)
O Papa então recordou que os jovens brasileiros estavam entregando aos jovens poloneses a Cruz das Jornadas Mundiais da Juventude.
“A entrega da cruz aos jovens foi feita trinta anos atrás pelo Beato João Paulo II: ele pediu aos jovens que a levassem por todo o mundo como sinal do amor de Cristo pela humanidade. No próximo dia 27 de abril teremos todos a alegria de celebrar a canonização deste Papa, junto com João XXIII".
Francisco disse ainda que João Paulo II foi o inciador das Jornadas Mundiais da Juventude, e se tornará o seu grande Patrono; na comunhão dos santos continuará a ser para os jovens do mundo um pai e um amigo. Peçamos ao Senhor, - continuou – que a Cruz, junto com o Ícone de Nossa Senhora, Salus Populi Romani, seja sinal de esperança para todos revelando ao mundo o amor invencível de Cristo.
Em seguida realizou-se a passagem dos símbolos da JMJ das mãos dos jovens brasileiros às mãos dos jovens poloneses.
O Papa então saudou todos os presente em particular as delegações do Rio de Janeiro e de Cracóvia, guiadas pelos seus Arcebispos, os Cardeais Orani João Tempesta e Stanilsaw Dziwisz. Anunciou por fim, neste contexto, “se Deus quiser”, no dia 15 de agosto próximo, em Daejeon, na República da Coreia, encontrarei os jovens da Ásia durante o seu grande encontro continental. O Papa pediu ainda a Maria para que nos ajude a seguir sempre Jesus com fé e com amor, e rezou a Oração do Angelus, concluindo com a sua Benção Apostólica.
O Papa concluiu a manhã com um abraço simbólico a todos os jovens do mundo, encontrando os jovens brasileiros e poloneses e fazendo um giro pela Praça São Pedro com o Papa-móvel. 

sábado, 12 de abril de 2014

Programação da Semana Santa

Pe.Gleuson, Pe. Abdala e toda comunidade paroquial convida você e sua família à participarem das celebrações da Semana Santa na Igreja de São Joaquim. Veja, abaixo, a programação, venha e juntos participemos desses momentos de profunda oração e reflexão.